Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Papel ecossistêmico dos animais: Onça-pintada, anta e guará

A Semana Mundial do Meio Ambiente  começou com o tema da biodiversidade e nós preparamos um conteúdo exclusivo para vocês. Esse é o momento de revertermos a perda de biodiversidade que assola nosso planeta. Vem com a gente saber mais! 

Cada animal possui um espaço e uma função na natureza. Por isso, a extinção de algumas espécies causa um desequilíbrio para o seu ecossistema. Hoje você vai conhecer alguns exemplos de animais que estão em processo de extinção e a sua importância dentro do ecossistema em que vive. 

 

Onça-pintada: símbolo da biodiversidade brasileira

Considerada o maior felino das Américas e rainha das florestas brasileiras, a onça-pintada foi nomeada como o símbolo da biodiversidade! Mas você sabe por que ela recebeu esse título?

Por estar no topo da cadeia alimentar e por necessitar de grandes áreas preservadas para sobreviver, a onça-pintada é um indicador de qualidade ambiental. Garantir a sobrevivência da onça-pintada é fundamental para integridade dos ecossistemas.

As crescentes alterações ambientais provocadas pelo homem, como o desmatamento e a caça, são as principais causas da diminuição da população de onças. No Brasil, a onça-pintada está na lista de espécies ameaçadas de extinção em criticidade diferente para cada bioma. No Rio de Janeiro, por exemplo, já estão extintas há aproximadamente 70 anos.

No BioParque do Rio, a onça-pintada faz parte do plano de população e estará presente em projetos de pesquisa conservação. Conheça a Gabi, a onça-pintada do BioParque do Rio!

 

Anta: a jardineira das florestas

A anta brasileira (Tapirus terrestris) é o maior mamífero terrestre da América do Sul e espécie-chave para o funcionamento dos ecossistemas. Porém ela já está extinta no estado do  Rio de Janeiro há mais de 100 anos. 

A função da anta dentro do ecossistema é semear as florestas. Devido ao seu grande porte, ela consome enorme quantidade de frutos e dispersa suas sementes por onde passa. Por isso são conhecidas como jardineiras das florestas. Sem esse “trabalho” as florestas não são as mesmas, tanto em termos de composição, quanto de estrutura e diversidade. 

Conheça o projeto Refauna, que em 2017 realizou a primeira soltura de antas na Reserva Ecológica de Guapiaçu (REGUA)! 

 

Guará: protetor dos mangues brasileiros

O Guará, ave exuberante de cor avermelhada, antigamente podia ser visto nos manguezais em toda costa litorânea brasileira, do Amapá até Santa Catarina. Infelizmente, a ave está  extinta na Baía de Guanabara há quase 100 anos e também em outros estados brasileiros.

Entre as principais causas do declínio da população de guarás no Brasil, estão a perda do habitat, a destruição das áreas de nidificação (ou seja, construção dos ninhos) e de alimentação, a caça excessiva, o comércio ilegal, a colheita dos ovos e a venda das penas para adorno.

Conhecido como uma das aves mais belas do Brasil,  possui um papel importante  no ecossistema em que vive. Essa ave funciona como um indicador de qualidade ambiental nos manguezais, além de ser um animal importante para a sustentabilidade do turismo ecológico nas regiões em que habita. 

Devemos lutar pela conservação das espécies! 

Não perca a programação da Semana Mundial do Meio Ambiente. Nela traremos conteúdos especiais que te ajudarão a repensar sua relação com a natureza e todos os seres vivos. Você é o nosso convidado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Talvez você também curta: